fundo parallax

Passeio de Maria Fumaça, Apiúna

Expedição Serra Mirador, Presidente Getúlio
12 de junho de 2017
Expedição Morro do Bicudo, Presidente Nereu
28 de junho de 2017
 

Uma viagem no tempo a bordo da Maria Fumaça!

O

clima colaborou e num belo domingo ensolarado pude levar a família para um passeio de Maria Fumaça. Quem tem mais de 50 anos pode se lembrar do trajeto Rio do Sul / Blumenau e de como era uma viagem desta! Para quem tem menos de 50 anos, o passeio de Maria Fumaça na estação de Subida até a área da Usina Salto Pilão em Apiúna, é uma verdadeira viagem no tempo relatada por aqueles que trabalham para manter viva esta tradição. O passeio se dá no trecho reimplantado do antigo leito da extinta EFSC, que funcionou de 1909 a 1971.



Pela BR 470 perto da divisa de Apiúna e Ibirama, a sinalização é clara…”Hoje tem passeio de Maria Fumaça”. Saindo da rodovia, mais alguns metros, encontramos o pátio onde aguardamos a saída dos passeios e o vagão da bilheteria – Ingressos R$25. Bilhetes em mãos é hora de aguardar a próxima saída da Maria Fumaça. Aproveito para comprar algumas lembrancinhas numa barraquinha de souveniers no mesmo local.



 

Resgate histórico

Enquanto aguardamos, uma grata surpresa! Tive a oportunidade de conversar com Sandro Rocha – Diretor Geral de Operações Terrestres, Aéreas e Marítimas da Anjo da Guarda Fest, uma organização que realiza palestras, simulações, demonstrações de equipamentos, exposições de veículos e aeronaves militares e proporcionando troca de experiências entre visitantes e expositores. E esta troca de experiência já foi sentida no contato com a moto histórica da Polícia do Exército (PE), modelo CG125-LR, ano de fabricação 1983, utilizada na década de 80 para escolta de autoridades e é claro com um personagem trajado com capacete, luvas, coturno,devidamente trajado com o fardamento completo de Batedor PE da época. Uma verdadeira viagem no tempo!



Todos a bordo!

Em meio a mata já se ouvia o apito da Maria Fumaça que retornava com outros passageiros. Hora de embarcar. Assentos demarcados e a viagem no tempo já começa com os detalhes do vagão, cuidadosamente restaurado. Nosso guia nesta viagem ao tempo é o Sr. Luiz Carlos Henkels, sócio da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF).



A história da EFSC é rica e cheia de curiosidades as quais ficam ainda mais evidenciadas quando se está dentro de um dos vagões de passageiros, em meio a mata e ouvindo o marcante som da locomotiva. No início do passeio o Túnel da Subida, construído em curva com 70 metros de extensão, é a primeira surpresa do caminho. Uma verdadeira obra da engenharia que causa euforia nos passageiros pelo pequeno momento de escuridão e fumaça dentro do vagão.



Outro atrativo do trajeto é o viaduto de dois arcos sobre o Ribeirão Subida, outra obra da engenharia restaurado em novembro de 2007. De dentro do vagão é possível ver o ribeirão Subida que corre ao lado da estrada geral – ponto ideal para belas fotos da passagem do trem como as que registrei ao final do passeio.



Esta é uma daquelas viagens que instiga nossa curiosidade em buscar mais detalhes sobre a história e em uma pesquisa ao livro 100 anos de história da EFSC encontramos relatos e fotos de como era o viaduto no início de sua construção e a sua revitalização em 2010 que marcou a reativação deste trecho.

 

Foto de 1924 mostra como o viaduto começa a tomar forma em meio a paisagem do Vale do Ribeirão Subida e as rústicas choupanas cobertas com palha que serviam de descanso, abrigo, refeitório e pernoite para os operários.
 

A lavação do viaduto de dois arcos em Subida, em novembro de 2007, marcou simbolicamente o início do cumprimento do acordo de contrapartida pró-restauração do trecho da EFSC.
 

Durante o caminho, além das maravilhas arquitetônicas podemos ver das janelas do vagão as belezas naturais desta região como a mata atlântica, os paredões de pedra e as corredeiras do Rio Itajaí Açu, onde é realizada a prática de rafting – conheça a Ibirama Rafting que organiza a aventura pela corredeiras. No trecho final do passeio adentramos na Usina Hidrelétrica de Salto Pilão onde podemos ver parte do completo energético.



Hora de voltar

Hora de voltar para a estação. Durante o retorno ainda fizemos duas paradas estratégicas, uma na caixa dágua e outra para retirada do vapor das caldeiras.



De volta a estação depois de 50 minutos e 2.500 metros de passeio é hora de desembarcar, admirar a locomotiva e as pessoas que tornam possível essa viagem no tempo. Hora de agradecer também a todos os voluntários que através do seu suor mantém viva parte da história da Estrada de Ferro Santa Catarina. Uma história contada não apenas por relatos mas por uma experiência sensorial que vai além das fotos e vídeos. Uma experiência que vale a pena ser vivida e compartilhada. Por isso finalizo com um convite: Viva esta experiência e sinta esta história!



Agradecimento especial a toda equipe e a Otávio Junior coordenador administrativo da ABPF-NuRVI, voluntário a 16 anos do projeto!

 

GOSTOU?
QUER PARTICIPAR DESSA AVENTURA?

Fique atento aos próximos passeios e traga sua família para essa viagem no tempo!
 

Próximos passeios

novembro 2017

12nov10:0015:00DSTAQUEPasseio Maria FumaçaEstação de Subida até a área da Usina Salto Pilão em ApiúnaEstrada Geral SubidaCategoria:Arte & Cultura,Datas Especiais,Passeio Maria Fumaça TagsApiúna,Estação de Subida,Passeio Maria Fumaça

 
Acompanhe +

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X